Coversão de Moedas Brasileira

Aplicação da Conversão de Moedas em Cálculos Judiciais


Os cortes de moedas brasileiras foram eventos significativos na história econômica do país, nos quais ocorreu a redução do valor nominal das moedas em circulação. Esses cortes foram realizados como forma de combater a inflação e estabilizar a economia em momentos de crise.

Autor: Edmilson Galvão      Publicação: 10/10/2020      Atualização: 20/12/2021

Compartilhe:

Aplicação da Conversão de Moedas em Cálculos Judiciais

Os cortes de moedas brasileiras foram eventos significativos na história econômica do país, nos quais ocorreu a redução do valor nominal das moedas em circulação. Esses cortes foram realizados como forma de combater a inflação e estabilizar a economia em momentos de crise.

Um dos primeiros cortes de moedas no Brasil ocorreu em 1967, durante o regime militar. Na época, o país enfrentava um quadro inflacionário severo, e o governo decidiu realizar uma reforma monetária para controlar a inflação e facilitar as transações comerciais. Foi criado o Cruzeiro Novo (NCr$), substituindo o Cruzeiro antigo (Cr$).

O corte foi de 1.000 para 1, ou seja, cada Cruzeiro antigo passou a valer 1 Cruzeiro Novo. Por exemplo, uma nota de Cr$ 1.000,00 passou a ter o valor de NCr$ 1,00.

Outro corte significativo ocorreu em 1986, com o lançamento do Cruzado (Cz$), também como medida para combater a inflação descontrolada. Na época, o Brasil passava por um período de hiperinflação, e o governo implementou o Plano Cruzado para estabilizar a economia.

O corte foi de 1.000 para 1.000, ou seja, cada Cruzado valia 1.000 vezes mais que o Cruzeiro. Por exemplo, uma nota de Cr$ 10.000,00 passou a ter o valor de Cz$ 10,00.

No entanto, apesar das tentativas de estabilização econômica, a inflação persistiu, e novos cortes de moedas foram realizados. Em 1989, foi lançado o Cruzado Novo (NCz$), substituindo o Cruzado. O corte foi de 1.000 para 1, ou seja, cada Cruzado passou a valer 1 Cruzado Novo. Por exemplo, uma nota de Cz$ 1.000,00 passou a ter o valor de NCz$ 1,00.

Confira também:

Em 1990, o país passou a adotar o Cruzeiro novamente (Cr$), substituindo o Cruzado Novo. O corte foi de 1 para 1, ou seja, cada Cruzado Novo passou a valer 1 Cruzeiro. Por exemplo, uma nota de NCz$ 10,00 passou a ter o valor de Cr$ 10,00.

O último corte de moedas ocorreu em 1993, com o lançamento do Cruzeiro Real (CR$), como parte do Plano Real. O corte foi de 1.000 para 1, ou seja, cada Cruzeiro passou a valer 1.000 vezes menos que o Cruzeiro Real. Por exemplo, uma nota de Cr$ 1.000,00 passou a ter o valor de CR$ 1,00.

É importante ressaltar que os exemplos numéricos mencionados neste texto são ilustrativos e não correspondem aos valores exatos das cédulas ou das taxas de conversão.

Os cortes de moedas foram realizados para controlar a inflação e facilitar as transações comerciais, mas não foram suficientes para solucionar definitivamente o problema econômico do país. O Plano Real , lançado em 1994, trouxe uma estabilização mais duradoura e uma nova moeda, o Real (R$), que está em circulação até os dias atuais.

Edmilson Galvão

Autor:

Edmilson Galvão - Advogado | Contador